‘Lift’ de Kevin Hart revela como o algoritmo da Netflix reviveu o conceito de ‘Filmes B’

O novo filme de Kevin Hart, “Lift”, disponível na Netflix, serve como um exemplo clássico de como a gigante do streaming está utilizando seu algoritmo para remodelar a paisagem do entretenimento. Embora “Lift” ofereça uma experiência descompromissada de um roubo, sua existência sublinha uma tendência mais ampla: o uso estratégico de dados pela Netflix para atender às preferências dos espectadores, com o conteúdo sendo quase um subproduto das demandas impulsionadas pelo algoritmo.

O modelo da Netflix tem se mostrado eficaz em manter os espectadores engajados. Se você gosta dos trabalhos de Adam Sandler, Jamie Foxx, Ryan Reynolds ou Kevin Hart, a Netflix não só oferece uma série ou filme que você possa gostar; ela tem outro em fila com base na sua aprovação do primeiro. Esta abordagem reflete uma mudança em relação à produção e distribuição de filmes tradicionais, alinhando-se mais com a natureza sob demanda e personalizada dos serviços de streaming.

Para atores e criadores, esta nova era oferece liberdade sem precedentes e oportunidades de explorar vários papéis e gêneros. Isso é evidente em projetos como “Lift”, um filme de roubo simples, e o papel dramático de Hart em “True Story”. Algumas estrelas, como Foxx e Sandler, até trouxeram a família para seus projetos, criando uma mistura de empreendimentos pessoais e profissionais.

No entanto, muitas dessas produções centradas em estrelas na Netflix têm a sensação do que costumava ser conhecido como “filmes B”. Esses filmes historicamente desempenhavam um papel secundário em relação a títulos mais proeminentes em sessões duplas. Embora os “filmes B” fossem tipicamente de baixo orçamento, o que não se alinha com “Lift”, eles compartilham o conceito de complementar projetos mais significativos. No caso de “Lift”, ele aproveita outros trabalhos populares de Kevin Hart na Netflix, como o reboot de “Jumanji” e seus especiais de stand-up.

Conforme relatado pelo The Wall Street Journal em julho, o sucesso da Netflix depende fortemente de sua análise de dados e tecnologia proprietária. Esta abordagem não apenas orienta quais shows e filmes produzir, mas também desempenha um papel crucial nas decisões de renovação e recomendações personalizadas.

Siga-nos nas redes sociais!

plugins premium WordPress